Batata Rústica do McDonald’s. Vale a pena?

Na semana passada, eu e o Mario demos uma passadinha no McDonald’s para experimentar um novo item do cardápio: as batatas rústicas. Eu que sou batata lover fui com a maior sede ao pote para conhecê-las. Mas e aí, será que vale a pena? O que mais chama a atenção nas batatas rústicas do McDonald’s

Na semana passada, eu e o Mario demos uma passadinha no McDonald’s para experimentar um novo item do cardápio: as batatas rústicas. Eu que sou batata lover fui com a maior sede ao pote para conhecê-las. Mas e aí, será que vale a pena?

batata-rustica-mc-donalds (1)

O que mais chama a atenção nas batatas rústicas do McDonald’s sem dúvida é o tempero. Elas são temperadas com páprica e uma combinação de especiarias que as deixam bem apimentadinhas e nesse quesito não há o que reclamar, apesar de sentir falta do toque do alecrim. Como tinham esquecido do meu pedido no balcão (!!!), elas acabaram vindo um pouco frias e não muito crocantes, o que me decepcionou um pouco. O tamanho é ok, mas elas são bem massudinhas e o interior não tem muito gosto. Não são as melhores que eu já comi, mas são gostosas.

batata-rustica-mc-donalds (2)

As batatas rústicas podem ser compradas de forma avulsa (por R$ 9,50 em todas as lojas da rede, com exceção das cidades de Belém, Palmas, Manaus e Porto Velho, onde custam R$ 10,50), por mais R$ 2,00 na troca da McFritas Média na McOferta Média ou por mais R$ 1,00 na troca da McFritas Grande na McOferta Grande.

batata-rustica-mc-donalds (3)

E pra quem tem curiosidade, a foto acima mostra os valores nutricionais da porção de batata rústica padrão. São 416 quilocalorias! 😉

Conheça os principais tipos de cebola e suas características

Provavelmente você já deve ter se deparado com ao menos dois ou três tipos de cebolas diferentes ao fazer compras em uma feira, certo? E com elas, surge a dúvida: qual o tipo de cebola ideal para a refeição que quero fazer? Confira abaixo uma seleção dos principais tipos de cebola e as características de

Provavelmente você já deve ter se deparado com ao menos dois ou três tipos de cebolas diferentes ao fazer compras em uma feira, certo? E com elas, surge a dúvida: qual o tipo de cebola ideal para a refeição que quero fazer? Confira abaixo uma seleção dos principais tipos de cebola e as características de cada uma delas para não rolar mais aquela indecisão!

Cebola Amarela ou Pera

Essa é a cebola mais conhecida e vendida no nosso país. Seu tamanho é maior do que as outras e sua polpa possui o sabor mais intenso e ácido. Por esse motivo, é mais indicada para refogados, assados, molhos e ensopados. Mas nada impede que você a use em saladas também.

Tipos-de-cebola-branca

Cebola Branca

Com casca branca e sabor intenso, assim como a cebola amarela, ela também é mais indicada para o preparo de refeições que vão ao fogo. É um pouco mais difícil de ser encontrada e é ideal também para o preparo de pratos – como molhos e aperitivos – em que se pretende acentuar o gosto e o aroma da cebola.

Tipos-de-cebola-roxa

Cebola Roxa

Comumente utilizada nos Estados Unidos, a cebola roxa é a mais indicada para ser consumida crua, em saladas e sanduíches. Com casca roxa, sabor menos ácido e mais adocicado, é um pouco mais difícil de ser encontrada nos supermercados, além de ter um preço mais elevado. É ideal para o preparo de vinagrete, guacamole e cebola caramelizada. Alguns estudos apontam que a cebola roxa é a opção mais saudável e que trás mais benefícios por possuir antocianinas em sua composição, um tipo de flavonoide que funciona como antioxidante no organismo. Por esse motivo, ela ajuda a prevenir doenças cardiovasculares, reduz os níveis de colesterol ruim e triglicerídeos, além de ajudar a combater doenças respiratórias como a bronquite e a asma.

Tipos-de-cebola-doce-outback-onion-rings

Cebola Doce (ou Vidalia)

É uma cebola tipicamente americana e sua principal característica é o formato achatado. Por possuir baixo teor de enxofre e um alto teor de água, tem sabor adocicado e é o tipo de cebola ideal para frituras – como onion rings – gratinados e vegetais assados. É a cebola utilizada pela Outback para fazer a famosa Bloomin Onion.

Tipo-de-cebola-perola-ou-chalota

Cebola Pérola (ou bebê) e Chalotas

A cebola pérola – também conhecida como cebola bebê – é um tipo de cebola pequena ideal para consumir como aperitivo ou refogadas com carne. Seu sabor é delicado e adocicado e muita gente também usa para fazer conservas, apesar de não ser a cebola original de conserva, que é ainda menor que esta. Já a chalota possui corpo alongado, pouco aroma e baixíssima acidez, o que a torna bem adocicada. É ideal para compotas e pratos requintados, sendo muito utilizada na culinária francesa. Quando cozidas, se desfazem quase por completo.


Resenha: Maçã Crocante 40g da Croc Apple

Quando estive na Casa Santa Luzia, em São Paulo, trouxe para casa alguns quitutinhos “gourmets” como esse pacote de chips de maçã crocante da Croc Apple, que eu queria muito experimentar. Dá só uma olhada: Na embalagem, consta que o produto é feito sem fritura, sem adição de açúcar e não contém glúten, aditivos ou

Quando estive na Casa Santa Luzia, em São Paulo, trouxe para casa alguns quitutinhos “gourmets” como esse pacote de chips de maçã crocante da Croc Apple, que eu queria muito experimentar. Dá só uma olhada:

Maçã Crocante (2)

Na embalagem, consta que o produto é feito sem fritura, sem adição de açúcar e não contém glúten, aditivos ou conservantes. Possui baixo índice calórico e um alto teor de fibras, que ajuda a eliminar toxinas e auxilia na regulação intestinal.

Maçã Crocante (5)

Ela é pronta para o consumo e contém apenas maçã desidratada e canela como ingredientes, tornando-o um snack saudável para as horas em que bate aquela vontade de comer um doce ou um salgadinho no meio do dia.

Maçã Crocante (9)

Aliás, por ser sem açúcar, não espere um produto docinho. Ele tem um gostinho levemente azedinho da maçã com um toque de canela. É bem crocante e, na minha opinião, sacia bem a fome. Comprei o pacote de 40g por R$ 4,50. Fica a dica para quem procura por snacks saudáveis para o dia-a-dia!

Quer conhecer mais? Clique e confira o nosso post sobre 10 salgadinhos saudáveis para comer sem culpa!

 

Conheça os benefícios do arroz selvagem

O arroz selvagem é um grão típico da região dos lagos, na América do Norte, cuja aparência é escura e comprida. Ela pode ser encontrada em quatro tipos diferentes, sendo: arroz selvagem , arroz selvagem do norte, arroz selvagem do Texas e arroz selvagem da Manchúria. De sabor marcante e adocicado, é muito apreciada pela

arroz-selvagem-beneficios
Créditos: Flickr

O arroz selvagem é um grão típico da região dos lagos, na América do Norte, cuja aparência é escura e comprida. Ela pode ser encontrada em quatro tipos diferentes, sendo: arroz selvagem , arroz selvagem do norte, arroz selvagem do Texas e arroz selvagem da Manchúria. De sabor marcante e adocicado, é muito apreciada pela alta gastronomia e cai bem com carnes, frutos do mar e saladas.

E apesar de ser conhecida como um tipo de arroz, especialistas afirmam que a zizania – seu nome original – trata-se na verdade de uma semente de uma gramínea aquática, cultivada em lagos de águas rasas e brejos, que traz muitos benefícios para a saúde. Conheça alguns destes benefícios abaixo:

1 – O arroz selvagem possui fibras que melhoram o trânsito intestinal, diminuem a absorção de gorduras pelas células e controlam os níveis de açúcar no sangue. Ou seja, dá pra emagrecer comendo arroz de forma saudável!

2 – Ele ajuda reduzir os índices de colesterol no sangue.

3 – É uma fonte riquíssima de proteínas, que ajudam a ganhar massa muscular e participam ativamente da síntese de novas células do sangue.

4 – Possui substâncias antioxidantes que combatem o envelhecimento precoce causado por radicais livres, além de prevenir também contra o câncer.

5 – É rico em vitaminas do complexo B, que atuam diretamente no sistema nervoso e imunológico, além de trazer benefícios para a pele e os olhos.

6 – É uma ótima fonte de potássio, o que contribui para a excreção de sódio pelo corpo e diminui em até 24% os riscos de um acidente vascular cerebral, conhecido como AVC.