10 marchinhas carnavalescas que falam sobre comida

Apesar de não sermos tão fãs de carnaval, gostamos de marchinhas, pois nos fazem lembrar dos carnavais-famílias em clubes. Para entrar na brincadeira, montamos uma lista de dez marchinhas que mencionam comidas, frutas, sobremesas ou utensílios de cozinha.

Pierrô Apaixonado (Noel Rosa e Heitor dos Prazeres / 1935)
A Colombina entrou num butiquim / Bebeu, bebeu, saiu assim, assim / Dizendo: “Pierrô, cacete! / Vai tomar sorvete com o Arlequim!”

Cachaça não é Água (Mirabeau Pinheiro, Lúcio de Castro, Héber Lobato e Marinósio Filho / Década de 1950)
Você pensa que cachaça é água / Cachaça não é água não / Cachaça vem do alambique / E água vem do ribeirão
Pode me faltar tudo na vida / Arroz feijão e pão / Pode me faltar manteiga / E tudo mais não faz falta não

Chiquita bacana (Emilinha Borba / 1949)
Chiquita Bacana lá da Martinica / Se veste com uma / Casca de banana nanica

As águas vão rolar (Zé da Zilda, Zilda do Zé e Waldir Machado)
As águas vão rolar / garrafa cheia eu não quero ver sobrar / eu passo a mão na saca, saca, saca-rolha / E bebo até me afogar, deixa as águas rolar

Marcha da cueca (Carlos Mendes, Livardo Alves e Sardinha)
Eu mato, eu mato! / Quem roubou minha cueca / para fazer pano de prato

Acorda Maria Bonita (Antônio dos Santos)
Acorda Maria Bonita / Levanta vai fazer o café / Que o dia já vem raiando / E a polícia já está de pé

A Baratinha (Mário São João Rabelo / 1917)
Perna de porco é presunto / Mão de vaca é mocotó / Quem quiser viver feliz / Deve sempre dormir só

A melhor fruta da terra (Braguinha / 1938)
Iaiá, você tem razão / Seu coração não se engana / A melhor fruta da terra, iaiá / É a banana
O tio san / Já não quer comprar café / Como é que é / Mas se o titio isso não resolver / Yes, nós temos bananas / Pra dar e vender

Rancho da goiabada (João Bosco e Aldir Blanc / 1976)
Os bóias-frias quando tomam umas biritas / Espantando a tristeza / Sonham , com bife à cavalo, batata frita / E a sobremesa / É goiabada cascão, com muito queijo, depois café

Zé marmita ( Brazinha e Luiz Antônio / 1953)
Numa lata Zé Marmita traz a bóia / que ainda sobrou do jantar / Meio-dia, Zé marmita faz o fogo / para a comida esquentar

Curtiram?

Beijos,

Daiene e Mario.

Um passeio pela feira de São Cristóvão (RJ)

No último domingo, eu e o Mario reservamos o dia para dar uma garimpada bacana na “feirinha de sucatas” que fica em uma das ruas de São Cristóvão e aproveitamos para fazer um passeio também pelo Pavilhão de São Cristóvão, em busca de alguns itens da culinária nordestina que a gente adora e só encontra por lá. Para quem não é do Rio ou ainda não teve a oportunidade de conhecer, fica a dica: é um ótimo lugar para comprar temperos, doces e bebidas tipicamente nordestinas, além de ter muitas opções de restaurantes para quem procura por pratos prontos.

Feira de São Cristóvão (RJ) - Feira Nordestina

Feira de São Cristóvão (RJ) - Feira Nordestina

Feira de São Cristóvão (RJ) - Feira Nordestina

Tem cultura mais nordestina do que a literatura de cordel? Esse carrinho que fica parado em uma das entradas da feira é de um senhor super simpático que revende cordéis de diversos autores. Vale a pena dar uma olhada (e também boas risadas)!

Feira de São Cristóvão (RJ) - Feira Nordestina

A Feira de São Cristóvão também é um ótimo lugar para quem procura por itens para a casa, como redes de dormir, edredons, lençóis, tapetes, toalhas… Tudo muito artesanal, colorido e rico em detalhes. Para quem adora renda, crochê e entrelaçados, é um prato cheio.

 

Sim, os acessórios! Você encontra um monte deles por lá. Há inúmeras opções de chapéus e bolsas, para todos os gostos e bolsos. Tudo muito artesanal e com a presença de muita palha, fios naturais, couro, franjas… Você também vai esbarrar com muitas opções de roupas por lá, mas para encontrar alguma coisa bacana mesmo tem que garimpar. #ficaadica

Feira-de-sao-cristovao-rj (7)

Feira-de-sao-cristovao-rj (8)

A parte mais rica e abundante da feira é, sem dúvidas, a gastronomia. O colorido, o cheiro, o visual, o paladar… Tudo muito tentador e que vai te fazer querer passar horas andando por lá. Olha só que linda essas garrafinhas com pimentinhas aí em cima. Além de ser um ótimo item para se ter em casa, ainda serve como opção de presente para dar para a família ou os amigos!

Feira-de-sao-cristovao-rj (21)

Feira-de-sao-cristovao-rj (3)

E para te deixar com água na boca, vou listar só alguns dos produtinhos que você encontra fácil fácil por lá: melado de cana, alfini, coxão de moça, pé de moleque, cocada, bolos caseiros, balas caseiras, cristalizados, goiabada, bananada, biscoitos, mel, manteiga de garrafa… Hummm, uma delícia!

Feira-de-sao-cristovao-rj (15)

Feira-de-sao-cristovao-rj (16)

Feira-de-sao-cristovao-rj (17)

E para quem quer se aventurar a fazer pratos usando ingredientes diferentes do que estamos acostumados por aqui, está aí uma boa dica: algumas lojas vendem vários tipos de farinhas e feijões a quilo, como o feijão sempre verde, farinha do pará, farinha do maranhão, farinha d’água…

Feira-de-sao-cristovao-rj (18)

Olha o que encontramos por lá: amendoim com casca, muito amor! <3

Feira-de-sao-cristovao-rj (19)

E como a gente adora uma boa embalagem, não dá para deixar passar batido alguns produtinhos como esse que está aí na foto, a Manteiga Itacolomy, que vem em uma latinha de ferro bem lindinha e com carinha vintage, que dá até para fazer parte da decoração da casa depois…

Feira-de-sao-cristovao-rj (2)

Feira-de-sao-cristovao-rj (1)

Outra coisa bacana que encontramos por lá foram essas opções de doces caseiros premium, que além de terem menos açucar, ainda vem em embalagens muito bem feitinhas e que dão água na boca só de olhar. Não dá pra resistir não, é?

Feira de São Cristóvão
Endereço: Campo de São Cristóvão S/N (Pavilhão de São Cristóvão)
Horário: Terça à quinta – 10h às 18h (Entrada franca) | Finais de semana: 10h de sexta às 21 h de domingo (Entrada R$ 3,00, exceto em dias de show)
Telefones: (21) 2580-5335 | (21) 2580-6946
Estacionamento: R$ 10 (terça à quinta) | R$ 13 (sexta, sábado, domingo e feriados)

Beijos e até!

Daiene Calmon

Resenha: Mel para massagem – Valmari Dermocosméticos

E hoje tem resenha de mais um produtinho da Valmari Dermocosméticos: o mel para massagem, da linha Face Spa. Ele é perfeito para aqueles dias em que sobra um tempinho a mais para relaxar e cuidar da nossa pele de uma forma bem eficiente. Veja abaixo! 🙂

Resenha: Mel para massagem - Valmari Dermocosméticos

A embalagem principal do produto vem dentro dessa caixinha amarela, que contém informações como ingredientes, indicação, modo de usar, precauções e uma breve explicação sobre os benefícios de cada ativo principal. Entre eles, estão: amber oil, extrato de mel, óleo de rosa mosqueta, blend de óleos (camomila, monoi e semente de uvas), óleo essencial de lavanda, óleo essencial de canela e extrato de baunilha.

Resenha: Mel para massagem - Valmari Dermocosméticos

Segundo o fabricante: “O mel para massagem age fornecendo à pele importantes elementos orgânicos como os aminoácidos e glucídios, além de uma grande variedade de biominerais. Reparador da pele, ele também atua contra a fadiga biológica dos tecidos cutâneos, propiciando flexibilidade, tonicidade e realçando a jovialidade da pele“. E eu não via a hora de abrir e testar na minha pele! Vocês sabem que eu tenho uma quedinha por produtinhos cosméticos com toque doce, né?

Resenha: Mel para massagem - Valmari Dermocosméticos

O modo mais indicado para o uso, de acordo com a embalagem, é aplicar o produto no rosto, nas regiões do pescoço e do colo. O mel deve ser aplicado sobre a pele previamente limpa e umedecida, massageando com movimentos circulares durante 3 minutos. Após o uso, ele deve ser completamente removido com água e o auxílio de uma esponja.

Resenha: Mel para massagem - Valmari Dermocosméticos

O conteúdo total do produto é de somente 100g, mas rende que é uma beleza. Você só precisa de um pouquinho para fazer uma boa massagem. A sensação que se tem no momento da aplicação é muito gostosa e o cheirinho do produto também é uma delícia!

Preço sugerido do produto: R$ 73,00

Salvar

Saiba como usar corretamente o filtro solar

Apesar de o verão ainda nem ter começado oficialmente no nosso país, os termômetros já andam marcando temperaturas pra lá de quentes na casa dos 40 graus. E, por si só, acho que esse já é um motivo bastante convincente para acreditar que realmente o filtro solar deve ser usado todos os dias, não? Pois então. O filtro solar – ou protetor solar, como preferirem – não deve ser considerado um item necessário na bolsa de praia e sim um item indispensável no nosso dia a dia, inclusive no inverno, quando os raios UVA e UVB continuam presentes até nos dias mais frios.

Estes raios ultravioletas são capazes de causar não só insolação, lesões e queimaduras, mas também, em casos mais graves, até câncer de pele. Eles também são os maiores responsáveis pelo processo de fotoenvelhecimento, causador da flacidez, das rugas e das manchas na pele. Não vai querer dar esse mole, né bonita?

Saiba como utilizar o produto corretamente e aproveitar de forma integral e eficaz todos os seus benefícios:

filtro-solar

1 – O filtro solar deve ser usado nas áreas que ficam mais expostas e suscetíveis aos efeitos negativos do sol, como rosto, pescoço, colo, braços e mãos (estas principalmente pois são as que mais sofrem com a exposição).

2 – Mesmo cobiçado, não é recomendável a exposição ao sol entre 10 e 16 horas, quando a incidência dos raios ultravioletas se torna muito maior.

3 – O filtro solar normalmente deve ser reaplicado a cada duas horas, ou em casos de transpiração excessiva ou contato com qualquer outro material que possa remover o produto da pele, incluindo a água do mar.

4 – Use filtro solar todos os dias, em todas as estações do ano. A incidência dos raios UV se mantêm praticamente a mesma tanto nos dias ensolarados quanto nos dias nublados. Até mesmo nos dias de chuva eles estão lá.

5 – Não há idade mínima para começar a utilizar o produto diariamente. Especialistas afirmam que os efeitos nocivos do sol causam danos à pele desde os primeiros anos de vida, por isso a importância de se utilizar protetor solar desde a infância, atentando-se para o tipo de produto recomendado para cada faixa de idade.

6 – O filtro solar nunca deve ser menor do que 15 FPS, até mesmo para peles morenas. O ideal é utilizar produtos a partir de 30 FPS. A variação deste valor irá depender de acordo com a necessidade de cada pessoa, como a presença de alguma doença relacionada ao sol, cor da pele, manchas ou procedimentos dermatológicos.

7 – Se você tem a pele oleosa, prefira os produtos feitos a base de gel ou gel creme. Eles possuem os mesmos benefícios de um filtro solar comum e são os mais indicados também para os adolescentes.

8 – Se sua pele é normal, mas mesmo assim você não se sente confortável com a consistência dos produtos em creme, há muitas outras opções no mercado como protetores em spray, aerosol, mousse e até em pó.

9 – Prefira produtos que tenham em sua fórmula ativos hidratantes e antioxidantes, como a vitamina E. Eles ajudam a reforçar não só o poder da proteção do produto, como também da hidratação e da prevenção do envelhecimento cutâneo.

10 – E se, depois de todas estas dicas, você ainda deu uma escorregadinha no uso do protetor solar, não tem problema. Utilize produtos pós-sol, como loções a base de aloe vera e azuleno, para hidratar e acalmar a pele, promovendo uma recuperação mais rápida.

Portanto, a partir de hoje, não esqueça o seu filtro solar antes de sair de casa! 🙂